"As cores são minha obsessão, meu divertimento e meu tormento de todos os dias" (Monet)

26/07/2010

Cores Complementares


                               
"Garrafas na Janela"- espatulada à óleo em painel

Hoje falarei um pouco sobre cores complementares e como elas se comportam dentro de uma pintura.

Cores complementares são aquelas que se encontram em lados opostos no disco cromático e são chamadas complementares porque uma sempre irá complementar a outra. De inicio parece difícil de entender isso, porém, se pensarmos em harmonia de imagens, logo pensaremos em variedades de informações visuais. Partindo deste princípio, podemos dizer que o que falta em uma, encontramos na outra.
Os pares de cores complementares mais conhecidos são: Azul e laranja; verde e vermelho; violeta e amarelo. Dentro dos pares, uma sempre pertencerá à família das cores frias e a outra das cores quentes. Este grupo citado são apenas as mais óbvias, há, entretando, uma infinita combinação, e descobrir apenas algumas delas, pode ser o tormento de alguns artistas. 

De repente precisamos representar um rosa claro e pálido na sombra e vamos buscar pelo verde claro - isto parece óbvio na nossa cabeça, já que o rosa resulta do vermelho acrescido do branco, mas não é bem assim que funciona. Na verdade, acharemos a "inversão térmica" do rosa pálido no malva frio (azul claro + um toque de violeta).

Estudar com afinco a teoria das cores é fundamental a qualquer artista. Sem um conhecimento, por menor que seja, é impossível entendermos suas múltiplas facetas e como podemos ser facilmente "enganados" por ela.

Cores complementares colocadas lado a lado, uma sempre ira intensificar a outra fazendo-as parecer mais luminosas do que na verdade são.

Reparem nas duas garrafas que estão em primeiro plano nesta pintura: a azul e a laranja. Podemos dizer, sem exagero, que são elas que dão "vida" e "força" à pintura. Mesmo representando apenas uma parte de um conjunto harmonioso. Sem elas qualquer observador perderia todo o interesse.

Ao elaborar este desenho procurei estilizar e simplificar ao máximo as formas dos itens da composição a fim de que eles não competissem com as cores. Em resumo: temos que buscar causar impacto, seja nos detalhes das formas, nas cores, ou até mesmo nos exageros entre luz e sombra, mas o importante é consegui-lo.
 
As vezes, temos que abrir mão de alguma coisa para que outras se sobressaiam: não tente reproduzir de todos os artifícios e truques numa mesma pintura. Isto resultará numa poluição visual que incomodará os olhos do observador.

Há ainda nesta pintura outro par de cores complementares um pouco mais sutil: o vermelho terroso e quente da lateral direita e o verde claro da garrafa verde.

São raras as pinturas que apresentam mais do que dois pares de cores complementares sem parecerem berrantes; o resultado poderá ser desastroso.Um bom conselho é seguir uma regra bem simples: escolha um par de cores bastante vívidas para compor seu ponto de interesse. Então, escolha outro par e escureça uma delas e aclare a outra nos seus pontos máximos para compor itens de suporte dentro da composição. Verá o belíssimo resultado que irá conseguir.

Repetir apenas uma das cores complementares em outra parte da pintura é outro recurso para tornar uma pintura empolgante. No caso desta pintura, repeti um dos azuis da garrafa azul no fundo do lado esquerdo e na "terra" do vaso. Também podemos ver o mesmo verde da outra garrafa nas folhagens da planta.

O conjunto de cores neutras que compõem o restante da pintura também são de suma importância, visto que agem como cores de ligação, produzindo"ventilação" adequada e impedindo um resultado irritante aos olhos.

Eu havia colocado esta foto num outro post e uma leitora me deixou um comentário dizendo que lembrou de Cézanne ao vê-la. Gostaria de dizer que adoro Cézanne, mas não estava pensando nele enquanto elaborava os primeiros estudos. Só depois da pintura pronta é que a lembrança das composições dele me veio à mente. É engraçado como as coisas acontecem; não nos damos conta como somos influenciados pelos mestres que admiramos. Estamos no controle quando começamos a pintar, mas depois, parece que a coisa toma vida própria e segue por rumos totalmente inesperados.

15 comentários:

  1. Sueli, gostei muito da sua explicacao sobre o uso das cores complementares em trabalhos de arte. E, a mesma regra pode ser estendida, por exemplo, a decoracao de um comodo da casa,ou a escolha de roupas. A arte e rica justamente porque ela se expande e se comunica as coisas simples do dia a dia bem como as grandes obras de excelentes artista - voce incluida!

    ResponderExcluir
  2. Sueli, bom dia!
    Eu , se pudese faria um estudo um pouco aprofundado sobre cores. Tenho uma enorme dificuladade para distinguí-las. Acho que não sou daltônico, já fiz teste. O problema creio, está na dinstinção, na identificação de tons, algo para mim tão estranho. Vou aprendendo um pouco aqui com você a cada post seu, que aprecio muito. Abraços. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pela sua explicação.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Cacá, todos nós temos alguma dificuldade com as cores, este não é um privilégio só seu rsss
    Principalmente com os tons, dar o valor correto a certo tom, é aí que o bicho pega... Eu, por exemplo, tenho uma enorme dificuldade com o VERDE, ele me engana,trapaceia, tenho a impressão que ainda ri da minha cara hahaha Se eu pudesse eu bania-o definitivamente da minha paleta, mas é uma cor necessária, tenho que confessar: NÃO POSSO VIVER SEM ELE!!!

    Bjo Gde Grata pelo teu comentário.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Sueli, gosto de tudo que estás apresentando, tudo de bom gosto, ótima técnica, mostras bastante segurança. É aquilo: quem sabe, sabe.
    Quanto às cores, acho de extrema importância nas variadas aplicações, como em obras de arte, nas vestimentas e na decoração de residências. São as combinações de cores que dão beleza, aquele toque fino para complementar. Dão um show de bom gosto ou põem tudo a perder! Conforme o negócio fica aquela coisa brega: um verde, um lilás, um rosado!!! São nos rosados, quando mal dosados, que vemos o diabo... rsrs. Quanto ao Cacá, entendo: homem nenhum sabe o que é marrom havana, azul cobalto, marrom terra, vermelho carmim, manteiga, palha... Mas deixa assim! rsrs

    Adorei, super explicado, amiga.
    Beijão.
    Tais luso

    ResponderExcluir
  6. Sueli, então eu desisto de vez. hahaha! Você com esse talento todo com a pintura me dizer que tem certa dificuldade, aí posso me considerar um completo troglodita em ralação às cores. rsrs. Obrigado sempre! Abração. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  7. Adorei este Post, mas tenho dificuldade
    em combinar as cores. Eu trabalho com intuição e gosto próprio. Se não gostar de uma cor, não uso....
    Mas eu pouco trabalho com acrílicos e
    óleos....o meu uso de cores é principalmente em azulejo e cerâmica, o
    que não tem nada a ver com as técnicas
    do óleo e acrílico.
    Mas seguirei com muita atenção os seus
    Posts.
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Querida Sueli!
    A tua obra é muito linda!
    Parabéns!
    Bjkas, muitas!

    ResponderExcluir
  9. Olá Sueli!
    Uma bela lição. A mim vai ser-me de certeza muito útil. Também gostei muito da tela.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Bela aula para nós e sabes usar muito bem as cores que tanto adoro em minha vida.beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  11. Que bom que vc gostou, e infelizmente também se assustou! Agora te peço um favor, nãoprecisa direcionar ninguém para o meu blog, apenas copie o video e repasse para o maior número possível de pessoas que vc puder! Este video do Ives, é importantíssimo neste processo, você sabe oconceito que este cidadão tem mundialmente, precisamos assustar sim outras pessoas, ninguém caiu na real ainda!bjs

    ResponderExcluir
  12. Oi Sueli, antes demais obrigadão pela visita e super comentário. Amei conhecer o seu blog e adorei esta sua entrada. Amo demais as cores e sinceramente nem penso quando as uso e corro sempre o risco de acabar num trabalho que não passa de uma grande "porcaria" mas acho que isso tem a ver com o facto de a pintura para ser apenas um acto de "libertação" mas que eu amo demais. Um beijão, vou dar mais uma espreitadinha

    ResponderExcluir
  13. Amiga Sueli gosto do seu trabalho e da sua forma tranquila de escrever!
    Acho que é porque você não se prende deixa fluir... muitas vezes nosso trabalho ganha vida própria comigo acontece muito alguns personagens toma conta da situação e não consigo controlar e acho esse o grande barato da criação como você disse lá no Baú isso é bom, eu acho bom demais! Minha dificuldade com a cores é grande só não entrei ainda com a camisa do Corinthians no meio da Mancha Verde! Felicidade sempre!

    ResponderExcluir
  14. Nossa!Adorei seu blog.
    Sou iniciante em pintar tela e achei seu blog muito interessante,aprendi muita coisa aqui.
    Parabéns pelos seus trabalhos e pelo blog!

    ResponderExcluir
  15. Nossa!Adorei seu blog.
    Sou iniciante em pintar tela e achei seu blog muito interessante,aprendi muita coisa aqui.
    Parabéns pelos seus trabalhos e pelo blog!

    ResponderExcluir

Tua visita me deixa muito feliz e o teu comentário é importante para o meu aprimoramento. Aceito sugestões, críticas construtivas e elogios, naturalmente, que não sou boba, né... rs. Só não aceito e nem vou publicar comentários anônimos com gracinhas sem graça e ofensas de gente desocupada. Aos anônimos peço que assinem, por favor.

A todos meus agradecimentos e meu carinho!

Sueli Gallacci