"As cores são minha obsessão, meu divertimento e meu tormento de todos os dias" (Monet)

11/08/2010

ABSTRATO - Uma linguagem poética


Recebi um e-mail muito gentil de um leitor agradecendo a minha postagem "A Força do Abstrato". Entre outras coisas, ele escreveu: "você desmistificou o abstrato".

Fiquei pensando nesta frase e cheguei até a concluir que ele estava enganado. Eu quase lhe escrevi de volta dizendo que é impossível "desmistificar" o abstrato pelo simples fato de que a pintura abstrata sempre será um enigma a ser decifrado.

Mas depois, pensando com calma, acho que entendi o que ele quis dizer.
Creio que ele estava pensando em termos de valor de uma obra de arte. Não o valor monetário, mas o valor maior que é a “impressão digital” do inconsciente do artista. Este, sim, é singular e de um valor incalculável!

Se por um lado tem gente que acha que o abstrato é "coisa" de quem não sabe pintar, existem aqueles, que por não saberem pintar, acreditam que composições desta natureza são uma alternativa. É neste sentido que ele disse que eu "desmistifiquei".

O Abstrato não é,
e não pode ser pintura de quem não sabe nada sobre fazer arte. É nisto que venho debatendo com os meus alunos por toda minha carreira. Este conceito nasce a partir do momento que algumas pessoas acreditam que para pintar um abstrato não está envolvido o aprendizado, que basta pincelar as cores que combinam – ou, as que mais lhe agradam os olhos – ,e está perfeito!... E que qualquer um, isto mesmo, qualquer pessoa pode pintar e já se autodenomina artista plástico desde o primeiro quadro.

Eu tive uma aluna que não conseguiu fazer nenhum progresso depois de alguns meses de aulas. Um dia, ela me disse: "
vou desistir de pintar coisas e partir para o abstrato”.

Sugeri que poderia lhe ministrar aulas teóricas sobre a modalidade. Começaria falando de como as cores e as formas se comportam quando corretamente combinadas. Contudo, deixei claro que não se tratava de fórmulas científicas, que para uma composição abstrata despertar emoções, muito depende da resposta pessoal de cada observador. E na prática, não poderia ensinar-lhe a espontaneidade gestual, visto tratar-se de algo bastante pessoal: o máximo que conseguiria, seria orientá-la até certo ponto. Ela não gostou nem um pouco da minha sinceridade e desistiu das aulas.

Sei que a grande maioria de professores de pintura topam fazer qualquer coisa desde que recebam para isso, mas não é o meu caso. Nesse aspecto sou categórica, e vou logo dizendo que certas coisas me fariam sentir tomando o dinheiro dos alunos, e eles, o meu tempo, visto que não aprenderiam nada.

Um aluno tem,
obrigatoriamente, de passar por todas as fazes de aprendizado até chegar a pensar em compor um abstrato: para esta regra, há raríssimas exceções!

Eu costumo chamar de "amadurecimento pleno" de um artista quando ele passa da fase dos figurativos para as composições abstratas – e isto pode levar anos, ou uma vida inteira. Comparo-o a um poeta, que depois de uma longa jornada “poetando” pela vida a fora, adquire um vocabulário tão rico, que consegue se expressar com uma única frase.

Moro há poucos quilômetros da cidade de Embu das Artes, lugar muito frequentado por turistas estrangeiros desde uns cem anos, ou mais. Tem muitas galerias de artes por lá e eu venho expondo meus trabalhos em algumas delas. Tenho vários deles vendidos nos países da Europa, Estados Unidos, América Latina e etc. Quem conhece a cidade sabe que há obras de muito valor artístico por lá, mas há, também, coisas medonhas expostas na praça central: quase todas "abstratas". É possível decorar a casa inteira por duzentos reais e ainda sobram uns trocados!

Tudo bem, não tenho nada contra quem ganha seu dinheirinho honestamente e até admiro, mas chamar aquilo de "arte", me desculpem se não consigo...

17 comentários:

  1. Olá, Sueli! eu acho que a arte abstrata é a maior expressão do imo do criador. O seu valor intrínseco talvez demande uma iconologia antes de uma iconografia. Meus parcos conhecimento num semestre que fiz de história da arte, não me credenciam muito a falar , apenas aguçaram a minha vontade de aprender. Mas, numa coisa eu concordo, todos os que querem fazer pintura e não sabem como, usam a categoria "abstrato" de forma genérica para se saírem bem. A minha vantagem aqui é que sempre aprendo um pouquinho com você a cada visita. Meu abraço. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. Eu pinto abstracto, porque não sei
    nada de desenho....
    Mas acho o abstracto tão difícil,
    que totalmente abstracto, não
    consigo pintar...lá estou metendo
    paisagem, caras feias e por vezes
    só ideias.E aí sim..sai qualquer coisa.
    Gostei da aula...
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi Sueli! Você explicou, com a propriedade de quem entende o assunto, o que eu sinto quando vejo quadros ditos "abstratos" espalhados por aí. A diferença é visível aos olhos. Vá lá, aos olhos pode ser difícil, mas ao coração... ah, esse é sábio! Agora já saberei argumentar quando me disserem que rabiscos insensatos são obras de arte! Um beijo, Deia.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Sueli! Que lindo esse abstrato... Gostei imensamente.
    E o texto pra lá de bom. É verdade, muita gente pensa que ir para o abstrato é igual a macaco pintando! rsrs
    Vi que estás rodeada de arte, bem pertinho. Quanto às alunas... também conheço este ‘babado’.
    O que li aqui foi uma ótima aula, muito ponderada.

    Beijão, amiga, e bom domingo.

    ResponderExcluir
  5. Fico imensamente encantado com seu retorno e por ter se tornado seguidora do Horizonte Hostil. Bom saber que continuarei tendo notícias suas e de suas maravilhosas obras. Grande beijo, luz e força querida artista!

    ResponderExcluir
  6. Apesar de ja ter se passado 2 dias mas seu aniversario sera comemorado por mim por varios dias, porque vc é minha amiga muito amada!Que chuvas de bençãos sejam derramadas em sua vida!!bjs Jo.

    ResponderExcluir
  7. Oi amiga, obrigado por visitar meu blog e deixar seu comentario , me sinto linsongeada, este abstrato é lindo, estou seguindo

    ResponderExcluir
  8. OLá Sueli, cá estou para retribuir sua amável visita e doces palavras la no Meu Cantinho.

    E realmente tenho que concordar com você, somos mesmo parecidas...

    Lendo seu post me identifiquei mais ainda, pois o que eu mais gostava de pintar eram os abstratos. Faz uns 3 anos que não pinto nada, precisei parar as aulas e agora ando sentindo uma vontade enorme de voltar a pintar.

    Sua família é linda...a gente sente mesmo o amor...
    Lindo ver um casal assim feito você e seu marido, um casamento duradouro e feliz...é bom saber que ainda existe. Que os Anjos iluminem sempre este amor.

    Agora...me conta o que é o seu netinho, lindo de viver...carinha de sapeca rs

    Estarei por aqui e como disse lá na minha resposta pra você, quero que este nosso conhecimento se intensifique.

    Um lindo final de semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Amiga, estou retribuindo a sua amável visita ao meu humilde cantinho, é sempre uma alegria enorme ver chegar mais uma amiga.

    "Sem amigos ninguém escolheria viver, mesmo que tivesse todos os outros bens." Aristóteles

    Adorei o seu blog e terei muito prazer em ser sua seguidora.
    bjs do tamanho do infinito
    Maria

    ResponderExcluir
  10. Como voce disse, abstrato é poesia. É interpretação. Ou a conjunção entre o olhar do criador e do observador. Quando eu visito blogs sobre poesia e eventualmente comento um poema, posto a minha visão da obra. Depois leio rapidamente o comentário de outros sobre o mesmo poema e percebo que cada um atentou para uma imagem diferente, que definitivamente estava lá, mas parecia revelada apenas para aqueles olhos. E quem sabe, nem o poeta tenha se dado conta de que o seu verso assumiria tal imagem!
    Assim é a pintura, assim é qualquer forma de arte. O abstrato não poderia ser diferente, até por força de definição. O abtrato é a porta de entrada do infinito. Não é a saída, não é o fim, é o inicio de uma passagem importante de nível, de conhecimento. Elevar as coisas do mundo ao infinito. Nunca poderia ser fácil...
    Adorei o seu post e adorei voltar aqui. Faz tempo que não venho... Bjos enormes.

    ResponderExcluir
  11. Oi Sueli.
    Este espaço colorido e cheio de beleza tem uma energia tão boa, me fez sentir muita falta dos meus pincéis, lembrei da quantidade de tintas nas caixas, e de telas - que ficaram em branco...

    Devagar vou conhecendo tudo por aqui.
    Já vi que tem muita coisa pra apreciar!
    Bjos, boa semana!

    ResponderExcluir
  12. Querida amiga Sueli, acabei de te enviar um email e voltou. Escrevi um monte de coisas , mas quero reenviá-lo. Para onde devo? bjsssss

    ResponderExcluir
  13. Oi Sueli! Acabei de ler seu carinhoso comentário, preparei um email para lhe responder, usei o endereço eletrônico que consta aqui na sua página, mas a mensagem voltou - rsrs! Você pode me mandar um email para rumoaescrita@gmail.com? Assim, eu consigo lhe enviar a minha "cartinha"! Beijos, Deia.

    ResponderExcluir
  14. Oii Sueli!!!

    Obrigada pelo recadinho!! =)
    Achei engraçado você dizendo que minha casa deve ser igual ao "casa cor"...rsrsrs....
    Não tenho muita coisa aqui decorando, mas tudo que tenho é escolhido a dedo. Acho que isso deixa nossa casa muito mais especial e aconchegante né? Umas amigas que leem meu blog vieram aqui uma vez e me disseram que minha casa é muito diferente do que elas imaginavam ....rsrs.... Elas pensavam que tudo aqui era colorido, e cheio de coisas e enfeites e tal. Mas não!
    rs.... Gosto de uma decoração suave, com poucas cores, chamo isso de decoração "calma" e "serena"...hahahhaa.... Pois o excesso de coisas e cores me deixa cansada e ansiosa.
    Já sou ansiosa de natureza... se não souber organizar meu espaço fico mais doida ainda...rs..
    Gosto de cores mais sóbrias. E deixo as cores alegres e gritantes nos pequenos detalhes.

    Um grande beijo!!
    Aline

    ResponderExcluir
  15. Mariiiiiia....não sei porque eu não sabia (a rima foi ao acaso)
    que voce pinta/desenha

    também adoro 'nus'...
    alias, certa vez, um professor de artes disse em sala que a perfeição no desenhar (qualquer coisa) está no desenhar corpo humano e feminino, claro, 'passando' toda a 'graça'.
    Outro grande desafio são sim cavalos (e davinci foi o máximo. não?)

    procurei o post que faz referencia (força do abstrato) antes de ler este..mas não achei!

    abstrato, reverso de concreto (rs) ganhou amplitude em conceito para mim, primeiro no decorrer do curso, depois com o atual relacionamento que vivencio. A arte não está distante ou é outra forma de conceitualo, mesmo porque a arte é uma forma do homem entender o mundo.

    quero agora pelegrinar pelo seu blog (meu tempo anda tão escasso...)e ver mais trabalhos seus.
    adoro aquarela e óleo estou já há 7 meses para pintar duas telas.
    Uma do busto de Vygotsky e outro um tema livre. O busto já até risquei a carvão...
    pastel e lápis também são paixões antigas (ahh..aqueles mega estojos carengache. ih...acho que errei a grafia)

    ando meio enferrujado em traço livre....ja que em pouco venha praticando e alem da universidade dedico meu tempo a uma atividade profissional que lida com outra forma de arte (veja meu blog alfa)

    bom...vamos nos falando então.
    bjim
    Julio
    PS: adorei o nu e os cavalos em montagem que estão nessa mesma pagina.

    ResponderExcluir
  16. Olá Sueli!
    Concordo plenamente com você, quando compara a arte com qualquer coisa que alguém se diz ser artista, o pinta1

    Bela postagem, meus parabéns, e um ótimo fim de semana pra Ti

    Bjs

    MARCIO RJ

    ResponderExcluir
  17. Espontaneidade é arte, abstrato é pura espontaneidade.

    Lindo abstrato.

    ResponderExcluir

Tua visita me deixa muito feliz e o teu comentário é importante para o meu aprimoramento. Aceito sugestões, críticas construtivas e elogios, naturalmente, que não sou boba, né... rs. Só não aceito e nem vou publicar comentários anônimos com gracinhas sem graça e ofensas de gente desocupada. Aos anônimos peço que assinem, por favor.

A todos meus agradecimentos e meu carinho!

Sueli Gallacci