"As cores são minha obsessão, meu divertimento e meu tormento de todos os dias" (Monet)

10/09/2010

MARINHA

"Mariscando" - 0,40 x 0,30 cm
(clique na foto)

Esta pintura foi feita inteiramente com a espátula, do começo ao fim. Acabei de fazê-la, ainda está molhada.

É a primeira vez que faço uma espatulada numa tela tão pequena e foi um verdadeiro desafio pra mim: até minha menor espátula parecia grande demais para manusear. Mas telas pequenas tem lá suas vantagens: elas ficam lindas com molduras e paspatour bem largos. Isso valoriza e enfoca melhor o tema retendo por mais tempo os olhos do observador.

Eu já fiz vários trabalhos com este mesmo tema em telas maiores e o resultado saiu bastante satisfatório, exatamente como planejei, porém, não aconteceu o mesmo com esse. Acho que acabei perdendo o foco com tantos retoques do "coloca e raspa" a tinta. É fundamental, numa espatulada que coloquemos a tinta em “alla prima” (de primeira) sem retoques.

Trabalhar com a espátula é um prazer enorme, ela não permite que realizemos todos os detalhes como acaba acontecendo com o pincel e, muitas vezes, a pintura fica "pesada" com tanta informação visual.
Somente com a espátula conseguimos construir uma cena "fresca" própria do impressionismo, onde o mais importante são o movimento e o jogo de luz e sombra captadas momentaneamente, o resto não importa muito.

Pretendo continuar treinando minha mão a trabalhar com a espátula em telas pequenas, pois há um grande mercado para elas em galerias de arte. Elas são as preferidas dos europeus: primeiro pelo fácil transporte, e depois, creio que as casas e apartamentos não são tão grandes por lá.

Lembrei-me de um acontecimento quando estava pintando essa: certa vez, recebi em minha casa duas francesas que queriam ver minhas pinturas; uma amiga as hospedava em sua casa num condomínio próximo daqui. Vendo minhas pinturas, todas com mais de um metro quadrado, disse-me uma delas que não tinha parede suficiente em seu minúsculo apartamento no centro de Paris. Depois me perguntou por que, nós brasileiros, ostentávamos tanto com casas tão grandes, visto ser o Brasil um pais tão pobre do terceiro mundo.
Achei a pergunta esdrúxula e ao mesmo tempo interessante tal observação. Apenas respondi que ela não havia visto nada ainda, pois só conhecia as casas dos condomínios horizontais daqui da região.

Apesar da dificuldade de comunicação entre eu e ela, ficou claro que ela se referia a desigualdade social do nosso país. Creio eu...


Em tempo: Clique na foto e dê zoon ao máximo para ver os detalhes. Vocês podem até não ver, mas há gaivotas no rochedo ao fundo rsrs.


22 comentários:

  1. Ai, Sueli, mas que trabalho lindo! Quanta luz! Quanta vida! Dá vontade de sentar e ficar olhando, mergulhando para dentro da tela! Obrigada por dividir conosco! Um beijo, Deia.

    ResponderExcluir
  2. Oi Su, linda essa tela. Qdo entrei aqui, percebi uma claridade, como se eu estivesse lá fora, num dia lindíssimo e ensolardado. Essa foi a minha impressão. Parabéns, como sempre. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Bom dia.
    Além das pinturas, os textos que as acompanham são demais! Seu bom humor, sua energia são bem evidentes, e contagiantes!
    Um grande abraço,
    Adh

    ResponderExcluir
  4. Bom Sueli, o que mais me impressinou mesmo foi a projeção das imagens das pessoas na água. A pintura desses reflexos , alem de ser muito difícil, imagino, é um momento de glória para os olhos. E a força das cores aqui me impressionou muito também. Abraços. Paz e bem.
    P.S: quanto à francesa, eu acho que responderia a ela que ostentamos casas grandes pelo aprendizado com os colonizadores europeus que viviam em castelos. rsrs.

    ResponderExcluir
  5. Cacá, sabe que vc tem razão?... Eu nunca havia pensado nisso...
    Se isso tivesse me ocorrido na época, seria uma boa resposta p/ aquela francesa metida à besta rsss

    ...pensando bem, acho que não... Acabei de me lembrar que elas me encomendaram algumas aquarelas que depois mandei pelo correio.
    Negócios à parte. hahaha

    ResponderExcluir
  6. Sueli,


    Tanta beleza escondida nessa tela, mais que as gaivotas,uma alma esplendorosa,magnífico trabalho!


    Um abç enorme, Marluce

    ResponderExcluir
  7. Sueli,

    Teu trabalho é magnífico, de um axuberância magnífica!

    ...as gaivotas vi na tua alma estampada na tela!

    Um abç grande, Marluce

    ResponderExcluir
  8. Sueli adorei as cores e o tema. E a técnica, naturalmente. Mar e sol são sempre coisas alegres, que nos botam pra cima. Gostei daquelas ondinhas quebrando na praia... E os três ‘marisqueiros’ muito alegres, trabalhando para o bem do país, rsrs. Você sabe o que penso do seu trabalho...

    Quanto as amigas francesas, até procede o espanto, tal desnível sócio-econômico que há aqui. E em outros países pobres. No Japão – falando de um país rico -, este espaço seria o luxo dos luxos.

    Beijão, amiga. Estou misturando comentário que seria para o 'Crônicas'.

    ResponderExcluir
  9. Su querida, agora a pouco escrevi pela segunda x a vc, porém nada deu certo e já estou ficando sem paciência - rsrsrs. Um dia vc me passou o email correto, mas não sei onde anotei ( q deveria ter sido no computador), então eu respondi a sua msg por email e voltou. Assim q vc puder me passe novamente, ok? Tenha uma excelente semana, repleta de energias . Bjsssssssss

    ResponderExcluir
  10. Oi Sueli, obrigada pela visita la no meu blog.
    Eu fiquei novamente deslumbrada com sua tela... Tudo é perfeito!
    Eu na verdade queria entender melhor sobre pinturas,para admira-las nao so como uma que ve um trabalho rico de beleza mas também quando o olhasse soubesse o porque de tudo.
    Mas lendo suas explicaçoes eu consigo entender um pouquinho, rsrs
    Lindo, lindo, lindo! Maos de fada voce tem! Valem ouros, parabens!

    Ahh e quanto o meu poema eu quando vejo as pessoas eu fico sempre analisando o que pode estar pensando cada uma enquanto caminho como elas em busca de um dia melhor.
    Pouco tempo faz eu escrevi um conto(Descobertas) E é a historia de um imigrante como eu, vindo do Oriente. Utilizei o seu percurso de vida aqui, escrevendo coisas que se passam em minha mente e lah no conto tem um trecho que mostra o que aprendi vendo gente como a gente e queria te mostrar...
    (Ah essa tal liberdade que todos nos buscamos e que nunca a encontramos! Ela não esta em lugar algum... Ela esta dentro de nos, quando nos libertamos desse modo de viver em que o poder quer dominar e esquecemos de ver que o melhor da vida são descobertas, auto conhecimentos que nos transporta a uma paz interior, fazendo com que nada ali fora te causa inveja, nada te assusta, por nascer uma coragem e uma visão simplificada de tudo que tem ao nosso redor.
    Descobrindo isto em mim depois de tanta solidão, eu passei a ver que coisas ao meu redor se tornaram mais belas e agora quando abro minha janela velha eu a vejo diferente e quando a observo vejo que ela esta assim porque anos e anos se passaram e como tudo nesta vida ela também envelheceu mas olhando detalhadamente eu a vejo mais bela e quando a fecho ela continua a me proteger!
    E agora sempre quando olho para fora dela, não vejo somente seres a passar. Eu os observo de um modo mais profundo, como se avaliasse seus pensamentos, suas mentes.
    Porque aquela senhora tem tanta pressa?
    Porque a criança chora e a mãe ignora?
    Esta é a vida como ela é! Seriam tantas as razoes!...)Eu amo este conto... E' a vida de meu namorado vista atraves de mim, rsrsrs Tudo que ele me contava eu guardava em memoria, e assim eu resolvi escrever, e se transformou em um conto cheio de capitulos!
    Beijos no coraçao!

    ResponderExcluir
  11. Linda tela cliquei para ver as gaivotas a Lady aqui cismou que eram garças e pediu para aproveitar que você esta tão boazinha e pedir um rotero para uma tirinha! felicidade meninae continue sempre com esse alto astral!

    ResponderExcluir
  12. Este cadro recórdame a Leonid Afremov un pintor Bielorruso, pero a súas pegadas de espátula son un pouco mais grandes. Unha forma de pintar que me gusta moitisimo e que recoñezo debe ser un tanto dificil, con esa finura que che caracteriza.
    Un estupendo traballo, a miña enhoraboa.

    ResponderExcluir
  13. Sueli, minha amiga! Passando para dizer que lhe dei um Selinho no post de ontem! Um beijo, Deia

    ResponderExcluir
  14. Aposto que bateu uma pontinha de invejinha nessas Francesas, porque ô povinho que se acha hem? Tenho um amigo Italiano que diz que ali ao redor, o povo Francês não é muito bem querido por eles, porque se acham muito.

    Sua tela está divina! E depois diz que eu tenho mãos de fada...rsrs... Suas telas transmitem paz e uma beleza incomparável!

    Beijosss

    ResponderExcluir
  15. Olá Sueli!
    Gostei muito deste espatulado! E as gaivotas notam-se bem.
    Eu também tenho um óleo que fiz com espátula mas dei-o à minha irmã. Como é um tema de praia, ele levou-o para a casa da Figueira da Foz. Eu gostava muito de trabalhar com espátula. Tenho que começar a trabalhar com acrílicos pois não me dou com os cheiros dos produtos para trabalhar a óleo. Gosto, mas não dá!
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi Sueli,

    Vim agradecer sua simpática visita e dizer que você é uma artista nata... Suas pinturas são excelentes!! Gostei dos traços, das técnicas aplicadas. Que precisão!!

    Beijos e, de agora em diante, nos encontraremos com maior frequência.

    ResponderExcluir
  17. Acaso conhece o blogue Panoramio
    de artistas e para artistas? dê-lhe um olho.
    No próximo dia 2 de Outubro, vai haver um convívio dos seus visitantes
    que constará de um jantar/ceia abordo de um Katamaran em plena Ria de Arosa na Galiza.
    Já agora, atrevo-me a perguntar, qual o preço do quadro mariscadores, dado que entendi que estava à venda?
    abraço

    ResponderExcluir
  18. Obrigado

    Você é uma jóia.
    Estarei sempre presente a deitar o olho às coisas belas que faz.

    Quem sabe se não terei um dia um quadro em casa com a sua assinatura.

    abraço

    ResponderExcluir
  19. Oi Su.
    Acredita que eu ainda não tinha visitado esse seu cantinho?!
    Estou encantada com os seus trabalhos, especialmente com esse aqui.

    Sua arte me lembrou um livro chamado Os catadores de conchas, de uma autora chamada Rosamunde Pilcher.

    É um livro de uma delicadeza inigualável, que gira em torno da pintura que dá nome ao livro.

    Estou, hoje, mais sua fã que antes.

    Muitos beijos

    ResponderExcluir
  20. gostei muito de sua tela, sou apaixonada pelo mar, praia, maresia, sol, vento, areia, canoas, ondas ahh tudo que envolve este cenario de MAR............AMO TUDO ISSO,...........

    ResponderExcluir

Tua visita me deixa muito feliz e o teu comentário é importante para o meu aprimoramento. Aceito sugestões, críticas construtivas e elogios, naturalmente, que não sou boba, né... rs. Só não aceito e nem vou publicar comentários anônimos com gracinhas sem graça e ofensas de gente desocupada. Aos anônimos peço que assinem, por favor.

A todos meus agradecimentos e meu carinho!

Sueli Gallacci