"As cores são minha obsessão, meu divertimento e meu tormento de todos os dias" (Monet)

25/03/2011

Um novo caminho

Acrílica sobre painel
(2,50 x 1,50m)

Pintei esse painel há muitos anos especialmente para decorar o apartamento de um rapaz que morava sozinho.

Um dia ele me procurou no meu atelier e me pediu um painel enorme, que cobrisse boa parte de uma parede.  Fez uma única exigência: o motivo tinha que ser “carros”.

Fiz vários estudos, optei por um e comecei a trabalhar no painel. Foi tudo muito rápido e no dia seguinte já estava pronto. Então olhei pra ele e exclamei: Que merda é essa que eu fiz!

Eu o odiei tanto que nem quis fotografá-lo. Foi depois de muito tempo que liguei pra ele e pedi que fotografasse e me mandasse a foto por email; nem sei bem qual a razão. A foto está ruim, parece que ele, assim como eu, é péssimo fotografo!

Depois dessa autocrítica cheguei a conclusão que eu não deveria entregá-lo, e já me preparava para iniciar outro. Porém, meu cliente apareceu de supetão, viu, gostou, pagou e levou.

Tempos depois, visitei o apartamento dele e vi esse painel pregado na parede como parte integrante da decoração. Como num passe de mágica, tudo mudou e eu realmente passei a gostar dele.

Essa experiência constatou o que eu já sabia, mas vivia ignorando: uma coisa é ver uma pintura no atelier presa ao cavalete, ou encostada num canto qualquer; outra coisa é vê-la no seu lugar “dialogando” com outros componentes da decoração. É aí que ela assume sua verdadeira identidade, enriquece e valoriza o ambiente. Ou, ao contrário, aquela que parecia uma obra prima dentro do atelier, destoa completamente, transformando-se num verdadeiro desastre!

Não foi apenas para falar de arte que eu postei esse trabalho. Foi para falar de um sentimento implacável, perturbador. Um sentimento que aparece como um fantasma a nos rodear e nenhum mortal está imune: A INSATISFAÇÃO!

Acho que todo artista, famoso ou não, passa por períodos de insatisfação total. Monet costumava desferir golpes de punhal dilacerando o tecido da tela quando se sentia insatisfeito com um trabalho. É claro que eu não chego a tanto. Quando desgosto de um trabalho eu apenas ignoro-o condenando-o ao limo de um quartinho de despejo.

Mas a minha insatisfação começa primeiro em outros aspectos da minha vida, só depois é que migra para o meu trabalho, numa completa falta de inspiração.  E falta de inspiração é tudo que um artista precisa para ser impedido de criar.

A insatisfação é uma coisa terrível, a gente sente e não sabe por quê. Sabemos que algo tem que ser mudado, mas mudar o quê?... Mudar de endereço, o corte de cabelo, o sofá da sala, a cor do batom?...

Me dei conta agora que faz muitos anos que não mudo a cor do batom, e isso me faz pensar que parei de fazer mudanças na minha vida. Quando isso começou, eu realmente não sei. De fato tenho mantido uma vida rotineira. 

Será comodismo,  praticidade (???)  

Ao olhar para esse painel hoje, pude perceber como minha pintura mudou desde então: amadureceu, e ao mesmo tempo tornou-se mais ousada.  Por outro lado, eu continuo a mesma. Embora eu tenha acumulado vivências, a ousadia ficou restrita ao campo da pintura.

E agora me bate essa inquietação pedindo por mudanças.

Justamente agora que já não me sinto capaz de “arriscar um olho” no tudo ou nada; de aventurar pela vida afora em busca de novos horizontes. O tempo parece estar passando mais rápido. Parece-me que já não cabe mais nenhuma busca pelo novo e desconhecido, por mais sedutor que possa parecer. Sinto-me esgotada em anos, dias, horas e momentos vividos. E tudo que mais desejo é tão mediocremente resumido em apenas três letras: PAZ!

Mas por enquanto essa paz ainda é uma tela que está branco... Ironicamente branca: a cor que a representa.

20 comentários:

  1. Muito bom seu post. Eu só acrescentaria que a insatisfação não é negativa, ela nos move. Quando não há insatisfação, não há busca, então, ficamos estagnados.
    Assim como seu cliente, gostei desse trabalho...me lembra final de semana.rs
    Bom final de semana!!!
    Bjobjo

    ResponderExcluir
  2. Amiga Sueli! Hoje, mais do que uma tela, você nos apresentou uma perspectiva sob a qual olha as situações ao seu redor. Percebe a mudança, mas, nesse momento, está preferindo o branco da tela - mais do que compreensível, visto que você tem a força de uma leoa todos os dias! Às vezes tudo que precisamos é sermos pequenos gatos domésticos, podendo sentar no alto de uma estante e olhar a vida com uma distância segura! rsrs! Sempre feliz por ser sua amiga e por compartilhar desses seus momentos de reflexão, que me levam a pensar em minha própria trajetória - e a vida não é uma maravilhosa e infindável troca de experiências? Beijos mil, precisamos nos reencontrar!! Deia.

    ResponderExcluir
  3. Olá Sueli!
    Em primeiro lugar, como é que está a sua filha? Espero que melhor atendendo às circunstâncias.
    Em relação ao quadro eu também gostei,só que deve ficar bem melhor quando integrado numa decoração tal como diz.
    Eu tenho alturas em que também não me apetece nada a não ser silêncio e exactamente, PAZ!
    Bj
    Milai

    ResponderExcluir
  4. Ja esccolhi o titulo: "Onde a Escuridao me Levar" rsrsrs
    Linda demais o quadro!
    Como sempre eu adorei! Quando o vi consegui imagina-lo em uma parede... Eu tenho uma tia que adaptou uma tela na parede de sua casa, ma parede de fundo que tinha em uma saleta. A tela era a pintura de peixes, muitos peixes e assim consegui tsmbém imaginar a sua tela ou seja os carros sem direçao e alguém ali todos os dias olhando para eles!rsrs

    Eu fico aqui pensando o quanto é interessante ler o que voce escreve, pois eu sinto isto mas quando eu escrevo, algumas vezes crio personagens para disfarçar, kkkkkkkk enquanto voce de cara lavada mostra ao mundo o que voce é, rsrs
    Eu escrevi um poema domingo sobre isto, insatisfaçao, mas escrevi em italiano, pois como disse nao gosto de mostrar e entao em italiano é dificil decifrar, kkkkkkk se chama "Domande Senza Resposte - Perguntas Sem Respostas"
    Tem vez que esta insatisfaçao aparece e eu quando estou perto de minha filha caçula me abro e falo:
    Estou com tanta vontade de chorar, mas nao sei porque? E ela nao responde, mas naquele momento me da atençao e logo passa...
    Na verdade eu sei de onde vem tudo isto. Vem de uma coisa que acontece com as mulheres em um periodo de suas vidas que se chama asuaponem, kkkkkkkkkkkkkk E' algo normal em todas nos rsrs
    Ah queria te dizer que adorei saber que voce gostou de Yanne... Eu me encontrei demais em seus textos e vi que voce iria gostar pois é voce sem tirar nem por, alias somos nos, rsrs as tres mosqueteiras, kkkkkkkkkkkkkk Eu, Voce e Ela.
    Te adoro!
    Beijos Sueli... Continue sempre assim sem inspiraçao para sair telas como estas... Aposto que se voce for la naquele quartinho onde abandonou todas elas vai ter mais telas como esta, rsrs

    ResponderExcluir
  5. Ola Sueli eu ja postei aquele texto, domande senza risposte... Vou passar o link:
    http://wwwtempo-livre.blogspot.com/2011/03/domande-senza-risposte.html
    Eu havia respondido a voce ontem la meu blog sobre sua amiga que escreve Drama na Web... Eu disse la que ela havia me encontrado e eu também a adcionei e tenho o blog dela no meu painel de controle com promessas de ler e vou adiando, mas hoje ja li os dois primeiros capitulos e gostei muito...
    Eu também estou escrevendo um livro, e tenho leitores, rsrs se chama Aventura de Louco... Todo Mundo Quer um Pouco! Estou no capitulo 13 e acho que vou atingir 28capitulos.
    E aquela palavra que voce perguntou o que é tem de ser lida de tras para frente, hehehe
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Voltei também para te responder, hehehe
    Comigo tudo aconteceu aos 46anos,rsrs precoce, justo isto foi precoce, eu queria que fosse precosse o reconhecimento como escritora, kkkkkkkkkk ou ser rica aos 18anos com direito a um barco a vela, haushaushaus as nao precoce foi outra coisa! inocentemente depois de suar por noites e noites eu achei que ia dar a felicidade para meu ex, passei uns tres meses ansiosa pensando de estar gravida e nem quiz fazer o teste para nao me decepcionar, pois era ligada e seria um milagre, mas dizem que milagres acontecem entao achei que poderia acontecer comigo. kkkkkk
    Isto aqui ta virando cronica,custei assumir que tenho 49anos e sou avo mas assumir isto nao é facil nao! haushaushaus
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Sueli,

    Com és admirável amiga, seja na tela, ou escrita, tens um diferencial, nuances de tua alma são doadas ao que tu fazes impressionado que procura les-te na essência!

    Outra paraéns pela sensibilidade poética!


    Um abraço muito amigo, Marluce

    ResponderExcluir
  8. Sueli,

    Sei que deves estar bem, tua filha, pois uma mâe quando põe flores no vaso é porque já abraçou o filho!


    Uotro abraço, Marluce

    ResponderExcluir
  9. Amiga: pois eu adorei estes carrinhos, lembra-me uma pintura ingênua e linda, não é fácil pintar isso, ter esses 95% de inspiração. Como artista plástica deves lembrar da conhecida frase de Picasso quando disse:

    "Quando eu tinha 15 anos sabia desenhar como Rafael, mas precisei uma vida inteira para aprender a desenhar como as crianças".

    Capito? Essa sua pintura tem um 'quê' de pureza.

    Mas deixando a pintura, que adorei, este teu texto revela o que acontece com todas nós: a insatisfação que na verdade não sabemos por quê. A vontade de mudar é uma constante, mas a certa altura de nossas vidas dá um bloqueio. Não há mais vontade para tantas mudanças. Sabe, Su, até hoje não sei se isso é ruim ou é um estado de maturidade que alcançamos. Talvez seja nesse ponto que amadurecemos. Que não precisamos mais de tantas coisas para conseguirmos o que você fala no final: A PAZ!

    Que bom que você voltou! Que bonita esta crônica!
    Beijos, minha querida.
    Tais Luso

    ResponderExcluir
  10. Sueli,
    li com muito interesse e avidez o seu texto - eu queria saber o desfecho... Essas sensações de desânimo, falta de inspiração, etc.são o prenúncio de novas e maravilhosas fases. Há um clamor inconsciente, algo que cobra mudança, evolução!
    Quanto ao painel - pelo fato de ser uma obra de arte fora dos padrões convencionais - ficou difícil, para você aceità-la de pronto. Mas para mim que não sofri com a execução e nem com as primeiras sessões de avaliação foi muito fácil fazer um juízo sobre a obra: ELA É LINDA, ESTÁ ÓTIMA, É MODERNA, É ARTE MADURA!!!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Sueli! É sempre bom ver você por aqui.

    Esse dissabor com o quadro da tela e da vida é uma coisa muito boa, eu acho. Isso é, na nossa dinâmica, uma espécie de combustível. Um quadro vai bem numa parece que , diferente do atelier onde foi concebido não tinha relação com a coisa desejada.

    Uma insatidafação nossa vai bem com umas runinâncias que nada tem a ver com as suas origens. Comigo costumo exercitar um negócio que eu chamamo de distanciamento crítico. É uma abstração de tudo, como assistir a um jogo de fora comigo mesmo jogando ao mesmo tempo. Quando volto para a real, não quer dizer necessariamente que volto melhor do que antes, mas sempre mais disposto ao que vier de novo, inesperado . O desejado pelo menos se torna menos desafiador (ou eu é que volto topando mais os desafios?).

    Enfim, é uma paz que eu vou conseguindo no processo de amadurecimento, pois acho que é a isso que estas elocubrações nos levam. Desculpe , acabei fazendo foi um desabafo.rsrs.

    PS: Renovo meus desejos de que tudo esteja e continue correndo tudo bem por ai em família.
    Abraço grande, Sueli. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Sueli!
    Eu conheci seu blog há pouco tempo, mas logo de cara seu trabalho despertou a minha admiração e o meu respeito.
    Você não imagina como fiquei feliz de ver seu comentário la no meu blog.
    Obrigada pelos elogios e pelas palavras carinhosas...bom conhecê-la!!
    Ótima semana p vc!!!
    Beijão

    ResponderExcluir
  13. Ola Sueli. Geralmente me encontro nesse estado de auto-crítica. Muitas vezes somos cruéis com nós mesmos, vemos o nosso trabalho de uma maneira, enquanto que outras pessoas podem contemplar de outras maneiras e ficamos surpresos.
    A arte precisa da liberdade, ela precisa tomar asas e voar. Você estava certíssima quando falou de ver a tela presa em um cavalete e depois na decoração do lar do seu amigo. A arte é viva e toma suas devidas proporções a medida que sai da clausura do atelier e cria sua identidade no local em que é disposta. Sua arte ganhou vida depois que saiu da solidão do cavalete, misturada as tintas, pincéis , foi onde ela nasceu.
    abraços.
    sua postagem me trouxe ótima reflexão, isso não é o mesmo que acontece com os filhos????
    Eles voam e precisam criar sua própria identidade.
    Muito bom!!!!!!

    ResponderExcluir
  14. Ai Su... Mudança é algo que sempre me assustou viu, tenho pensado bastante nisso... Para sair um pouco da rotina, fiz uma mudança no visual...rs... cortei o cabelo, fiz umas luzes, ficou legal.... agora preciso mudar um pouco na vida tbém né... vamos que vamos, bjos pra vc e sua filhota linda!! Espero que esteja tudo bem com ela.... cris

    ResponderExcluir
  15. O artista, é o critico mais severo do
    seu trabalho. Esta sua crónica...fez-me
    ver tanta coisa...e eu sou um reles
    auto-didata, mas critico à altura dos meus pequenos trabalhos.
    Não comento a segunda parte do seu artigo mas vou amadurecer bem esta parte que me tocou e deu confiança, para não desistir à primeira contrariedade...Aliás...a reciclagem de uma tela, por vezes facilita um bom trabalho....
    Tive muito prazer em ter encontrado um trabalho seu, sinal que voltou...
    Que tudo esteja pelo melhor
    Abraço

    ResponderExcluir
  16. Olá Sueli

    Mudar...custa sempre, por comodismo, falta de força anímica ou porque se encontrou um patamar de rotina que nos causa uma paz muito doce.
    A falta de inspiração está aqui sentada neste patamar , ao teu lado...Mas é tambem um tempo de reflexão. De repente, há um clic e surge uma nova ideia a que se começa dar corpo.
    O párar, é necessário seja qual fôr o motivo, para depois arrancar com mais força.
    O quadro está lindo, a mim transmite-me ideia de movimento, vida e fica bem na casa de um jovem ou no quarto de um adolescente!
    Como vai a tua filha? Espero que tudo se vá resolvendo e vai, concerteza.
    Mil beijos.
    Graça

    ResponderExcluir
  17. Sueli, passando para agradecer sua visita no meu INFINITO.
    Grata...
    Quanto a sua postagem, diria que mesmo os sentimentos negativos, no caso a insatisfação de um trabalho terminado que não saiu a gosto, pode ser uma alavanca para um novo caminho como você mesma diz.
    Muito bela a obra, esta que está ilustrando a postagem.
    Abraços Menina

    ResponderExcluir
  18. Amiga da arte, não sou artista das telas, provavelmente nem das letras, sou somente um escrevinhador mesclado a um sonhador de olhos abertos.

    A primeira visão à sua tela eu, que trabalho diariamente com trânsito, desviei o olhar, pois fui remetido à confusão que preenchem os meus dias.

    Depois de ler um pouco do seu relato, voltei e algo interessantíssimo eu vi: um caminho sem começo e sem fim, e nesse meio a nossa passagem por essa terra...

    Creio que é assim mesmo, não é? Cada um ve ou entende algo ao olhar para aquilo que criamos e acaba dando um sentido, que muitas vezes nem passou por nossa mente.

    Eu passei por um período de "desinspiração" anos atrás, assim achei. Fiquei meio que longe dos textos, pois estava preso ao trabalho, acorrentado nele. Algumas vezes escrevia um pouco, mas não divulgava. Foi quando, ao precisar colocar para fora sentimentos que me sufocavam, que acabei voltando ao mundo das letras, pois essa sempre foi a minha melhor válvula de escape. Fui eu mesmo que nunca percebi.

    Creio que todos passamos por essa fase de achar que a inspiração nos foge, que nosso tempo já passou, que devemos procurar Um Novo Caminho. Mas é na própria arte que faz bem ao meu coração que reside a inspiração para continuar evoluindo e me dividindo, creio que essa seja a fórmula para manter o nosso tão delicado equilíbrio.

    A sua busca incessante pela paz também é minha, não vejo o mundo de outra forma. Que ela seja a luz que ilumina o seu caminho.

    Abraços renovados.

    ResponderExcluir
  19. Eu já tive muitas vivências espirituais e o que lhe posso repassar é que todos nós somos sempre acompanhados por um antepassado. Não devemos recuar, mas sim reverenciar esse antepassado pedindo sempre por ele. Rezando por ele para que em vida ele faça por nós. O quadro tem uma mensagem espiritual muito forte! E as máculas espirituais existem mas é possível sará-las.

    Saúde a todos!

    ResponderExcluir
  20. Olá Sueli! Essa é a segunda vez que visito seu blog, e por incrível que pareça, acredito que vc se expressa muito bem, tanto na pintura como tb nas palavras, consegue me prender na leitura dos seus posts, como se eu estivesse pertinho, ouvindo vc falar. Engraçado isso, aproveito pra dizer que continuo admirando vc e seu trabalho.
    Deus te abençoe!
    Bel

    ResponderExcluir

Tua visita me deixa muito feliz e o teu comentário é importante para o meu aprimoramento. Aceito sugestões, críticas construtivas e elogios, naturalmente, que não sou boba, né... rs. Só não aceito e nem vou publicar comentários anônimos com gracinhas sem graça e ofensas de gente desocupada. Aos anônimos peço que assinem, por favor.

A todos meus agradecimentos e meu carinho!

Sueli Gallacci